Quem sou eu

Minha foto
Quando deitado, calado e mudo - da lente do verbo guardado, dentro do cubo do crânio - vejo tudo torto e quadrado.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Léa Masina e grupos de estudos literários



Amigos das letras, a mestra em literatura Léa Masina estará ministrando grupos de estudos literários em 2009. Há vagas, corram... Imperdível!
O e-mail dela tá aí: lmasina.ez@terra.com.br

Da Idéia, o Miolo


Da Idéia, o Miolo

Eu só sei que quando o tempo passa
como agulha que trespassa o infinito,
O pensamento é grito
mas o quarto é mudo.

O corpo - tronco, cabeça, membros
é prateleira, janela, medo.
Do lado de cá tudo é dentro
é de frente com o impossível.

Quando deitado
calado e mudo
dentro do cubo do crânio,
da lente da palavra guardada,
eu vejo tudo torto e quadrado.

No oco do escuro cego
eu me pergunto pro eco
sem resposta, claro.
Saber é não ter.
Certeza é só uma, tudo.

Nem tudo é profundo, é claro
tem sempre o outro lado
o fato, o esquadro,
o sentido, o tato, o certo.
Um tratado desconhecido.

Por isso eu, brabo, burro e errado
não sinto de todas as coisas
o verdadeiro sentido lato
e então, raivoso como cão
mordo o rabo, a razão e lato.

Aí, eu penso, só comigo e torto:
porque tudo que por dentro é brilho,
lá fora, no claro do escuro todo
é só da idéia, o miolo?
Um pouco do muito pouco
um pensamento só
apenas pó?